COMENTÁRIOS ANÔNIMOS

Em função do grande número de spam e mensagens ofensivas,
comentários anônimos infelizmente não são mais permitidos neste blog.

A respeito das críticas quanto à credibilidade das informações em nossos
artigos, vale notar que todos possuem referências bibliográficas.
Nosso principal objetivo é abordar assuntos que carecem de fontes seguras
na internet e ajudar na pesquisa de quem busca por eles.

Evanescence - The Open Door



Gravado e mixado em Hollywood (Califórnia), o especulado sucessor de Fallen (2003) traz 13 faixas e o piano como seu principal instrumento. Desde o seu lançamento na América do Norte em 3 de outubro de 2006, The Open Door - cuja arte sobre o CD é uma constelação - já vendeu mais de cinco milhões de cópias em todo o mundo. No Brasil, o álbum é distribuído pela gravadora Sony BMG.

• Integrantes da Banda





Amy Lee - vocal e composição
John LeCompt - guitarra
Terry Balsamo -
guitarra
Rocky Gray - bateria
Will Rocky - baixo

• Faixas




•••••• Sweet Sacrifice (Doce Sacrifício) - um pouco deslocada em relação às outras faixas diante da sonoridade do álbum, Sweet Sacrifice poderia perfeitamente encaixar-se em Fallen por sua agressividade. Uma mariposa, que pertence à família das borboletas, ilustra o trecho now that I'm unchained (em inglês, agora que eu estou de olhos abertos).
A borboleta é um símbolo tanto de ressurreição por sua metamorfose, quanto de vaidade e vazio por sua beleza e vida passageiras. A faixa foi escolhida para abrir o novo álbum justamente por representar a libertação de Fallen e o renascimento para uma vida repleta de novos sentimentos, como a borboleta que volta-se da morte do casulo para a luz do sol. Assista ao clipe!

••••••
Call Me When You're Sober (Telefone-me Quando Estiver Sóbrio) - é uma faixa impactante, que permitiu a Amy Lee expressar toda a força de sua voz. Uma formiga especial, responsável por armazenar água e alimentos em seu abdômen para as outras trabalhadoras, transmite a necessidade doentia de uma outra pessoa. Trechos como we can't keep believing, we're only deceiving ourselves and I'm sick of the lies (nós não podemos continuar acreditando, nós estamos apenas enganando a nós mesmos e eu estou cansada das mentiras) demonstram também o amadurecimento que ocorre ao longo da música. Assista ao clipe!

•••••• Weight of the World (O Peso do Mundo) - esta faixa foi escrita para os fãs do Evanescence no momento em que Amy mais se sentia pressionada por um novo álbum e mais músicas que seguissem a conhecida fórmula de Bring me to Life e Going Under. Esta idéia mostra-se explícita no refrão if you love me, then let go on me (se vocês me amam, então deixem-me ir), assim como no trecho próximo ao final em que as guitarras são substituídas por um violão e a música torna-se mais súplice.

•••••• Lithium (Lítio) - assim como Weight of the World, Lithium é representada por um guarda-chuva aberto que simboliza proteção e não permite que nada nos toque. É talvez nesta faixa que resida a melhor interpretação de Amy, que alcança e mantém notas agudas em uma impecável aliança com os intrumentos. Assista ao clipe!

•••••• Cloud Nine (Nas Nuvens) - clara alusão à liberdade e ao desejo de voar, há um pássaro que ilustra o trecho I don't need do touch the sky, I just wanna feel that high (eu não preciso tocar o céu, eu só quero sentir aquela altura). Apesar das guitarras distorcidas que sugerem a idéia de um vórtice através do qual cai-se sem jamais chegar ao fundo, o refrão desta faixa soa um pouco enjoativo ao longo da música.
Próxima ao fim, há uma passagem em que o ritmo súbito torna-se mais lento (surgindo assim uma possível semelhança com Weight of the World) e, como uma recaída, os versos contradizem o que vinham transmitindo até então.

•••••• Snow White Queen (Rainha Branca de Neve) - a inspiração para esta faixa veio dos momentos em que Amy não podia sair dos hotéis durante às turnês da banda porque alguém sempre a perseguia, e, ao contrário da maioria dos casos, a letra surgiu antes da melodia. Um pássaro, agora preso em uma gaiola, representa o quanto ela se sentia acuada e assustada. Versos como there's nowhere to run, so let's just get it over (não há para onde correr, então vamos acabar logo com isso) e don't scream anymore, my love, cause all I want is you (não grite mais, meu amor, porque tudo o que eu quero é você) expressam uma adoração doentia.

•••••• Lacrymosa (Lacrimosa) - o título, alguns trechos instrumentais e todos os versos que o coral recita ao longo da música foram baseados em Lacrimosa, missa fúnebre de Requiem, de Mozart.

Lacrimosa, dies illa,
(Lacrimosa, dia de lágrimas,)
Qua resurget ex favilla
(Aquele em que o homem pecador)
Judicandus homo reus.
(Renasce de suas cinzas para ser julgado.)
Huic ergo parce, Deus.
(Tende, pois, piedade dele, Deus.)
Pie Jesu, Domine,
(Piíssimo Jesus, Senhor,)
Dona eis requiem. Amen.
(Concedei-lhe o repouso eterno. Amém.)

O sentimentalismo de toda a música é tangível, e transmite a idéia de reconhecimento diante do fim. No encarte do próprio CD não há nenhuma imagem que a defina; apenas na versão digital disponível para o iTunes há o desenho de uma lágrima.

•••••• Like You (Como Você) - assim como em Lacrymosa, a única representação para Like You está na versão digital: um caixão, clara referência a Bonnie Lynn Lee, irmã de Amy que morreu apenas ao três anos de idade. Esta é a segunda composição que Amy dedica à irmã (a primeira é Hello, do álbum Fallen), culpando-se por continuar a viver sem ela - como no trecho I hate me for breathing without you (eu me odeio por continuar a respirar sem você).
Extremamente emocionante, o ápice da música acontece no trecho don't matter what they told you, you're not alone (não importa o que eles te disseram, você não está sozinha), quando o ritmo dos instrumentos torna-se mais intenso.

•••••• Lose Control (Perder o Controle) - não apenas a música mais sensual do álbum como também de toda a discografia da banda, Lose Control talvez seja uma releitura maliciosa da cantiga infantil norte-americana Mary Had a Little Lamb. O próprio símbolo para esta faixa é um cordeiro.

•••••• The Only One (O Único) - tanto crítica quanto pessoal, The Only One é épica e grandiosa em sua percepção. Um grifo, animal mitológico que representa a sabedoria e põe ovos de ouro, está associado a toda a letra da música por seu grande senso de justiça.

•••••• Your Star (Sua Estrela) - toda a composição parece estar imersa em vazio e escuridão, como no trecho can't break the silence, it's breaking me (não consigo quebrar o silêncio, ele está me quebrando). A harmonia dos instrumentos rasgada pela voz ora suave, ora histérica de Amy é o que talvez mais lhe dê beleza. Um telescópio, instrumento para observação de estrelas e planetas distantes, simboliza o verso inicial I can't see your star (eu não consigo ver a sua estrela).

•••••• All That I'm Living For (Tudo Pelo Que Estou Vivendo) - caracterizada por súbitos contrastes entre o refrão e os diferentes interlúdios que a compõem, All That I'm Living For é uma perfeita união entre piano e guitarras. Uma chave representa o trecho lock the last open door (trancar a última porta aberta).

••••• Good Enough (Bom o Bastante) - como um final feliz após um turbilhão de dores, medos e tristezas, Good Enough foi escolhida para fechar o álbum e, com efeito, parece despir-se de todas as agonias para mergulhar no amor em sua forma mais doce. Um colar com pingente de coração transmite todo o bem-estar que ecoa nas notas do piano. Assista ao clipe!

Fontes
Evanescence Brasil

2 comentários:

  1. esse blog merece o selo de qualidade *-* seguindo

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o blog! O post do The Open Door fez-me lembrar do livro que estou escrevendo (onde maioria das influências musicais vêm do Evanescence).

    ResponderExcluir